5 de dez de 2014

separação

guardei os vestidos
e dois ou três pares de sapatos

recapitulei o lugar imóvel
dos teus cadernos
os lugares de esquecer
as xícaras
as prateleiras irrepetíveis
em pensamento

gastei minutos devagar:
a mala inacabada diante da porta
o mofo agonizante dos bilhetes
das listas de supermercado
do tom de voz
às segundas-feiras:
o gosto azedo da véspera
molhando a língua.

eu já sabia da ferida
cravada na porta
eu abriria os ruídos
pés sobre paredeso suor dos corredores
no verão

eu já sabia, eu diria,
da demissão do poema.

eu só não sabia
que à beira do fim
fazia mais frio.

Nenhum comentário: