20 de mai de 2012

deixei tuas roupas na calçada

despi teus versos
o gosto das mãos em meu rosto
as datas
as tardes
os poemas

na porta de casa,
a tua partida
atravessada na garganta