12 de nov de 2009

ah, meu coração

ah, meu coração, se soubeste que ainda ontem rolei insone pela última lembrança e mais algumas que inventava para trocar de cena entre teu riso tímido, teu aconchego noturno, a carência da minha manhã mais clara. (já foram tantas xícaras de café em tua homenagem que já não sei se durmo ou mais acordo com a memória de tuas mãos. e já foram tantas delas que não sei se não é tua a minha insônia, meu batimento apressado, minha liquidez. mas pensava - e já foram tantas, tantas, tantas xícaras...)

5 comentários:

Lídia disse...

Um café pra mim também, por favor, que eu vou sentar aqui e ler isso mais umas 10 vezes. É que gostei tanto.

A. Reiffer disse...

Gostei do teu blog!

Sim, eu. disse...

Ainda bem que é café. Quando chegar ao absinto, te dou uma meia dúzia de garrafas para abreviar seu sofrimento. E o meu também.
Linhas melancólicas merecedoras de uma única leitura.
Permita-se arrepios.Dê-se prazer, moça!

Ogum disse...

Não sou muito chegado em café .Mas se tu quiser algo mais forte. Dá um toque.
Interessante a forma como tu te expressa.

ibh disse...