24 de jul de 2012

o amor navega em mim
e eu me sinto feito um porto
beijando versos tortos
para afagar as despedidas

o amor navega em mim:
me beija a alma,
os ossos,
os cabelos

o amor me abre os braços
e eu tiro os sapatos

deixo aberta
a porta

e o olhar

4 comentários:

Mayara Almeida disse...

"os ossos e os cabelos"...!

vinicius disse...

uau!

Fred Caju disse...

Nesse rio que corre em veias mansas dentro de mim.

Katarine Araújo. disse...

Me lembrou Pena Filho:

"Carolina, a cansada, fez-se espera. e nunca se entregou ao mar antigo. Não por temor ao mar, mas ao perigo. de com ela incendiar-se a primavera"

:))))